Páginas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Falta apenas 1 dia para o aniversário de 4 aninhos!

      

Que emoção, meu gatinho vai completar 4 anos, amanhã ele exigiu atenção total. Estamos preparando a sua festinha... Esses últimos dias voltei um pouquinho ao passado pensei no nascimento do meu primeiro filho, a inexperiência tomava conta de mim e com o meu pequeno aprendi a ser mãe e descobri que não há nada melhor neste mundo.
 Te amo minha vida que Deus te dê muita saúde, muitas felicidades e saiba que nós te amamos demais!


 Happy Halloween!

Bjinhus

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

18 meses da princesa Gabriela


Este post está um pouco atrasadinho, a minha gatinha completou 1 ano e meio no dia 20 e não poderia deixar passar em branco esse dia tão especial, caiu no Sábado e a mamãe fez um bolinho com direito a bexigas também, esse mês de outubro está sendo repleto de festas UHU! Amo demais.
Como anda o desenvolvimento da minha princesa... Vamos lá, continua fanfarrona, adora dançar e cantar... adora a música Assim você mata o papai da novela Avenida Brasil kkk adoro! É muito agitada não para quieta um segundo, mexe em tudo, enfia o dedinho em qualquer buraquinho que encontra, cuidado com as tomadas redobrados, ama dar beijinhos, continua comilona, esse mês esteve meio enjoadinha por causa dos novos dentinhos, as panelinhas do fundo já apontaram, nasceram entre cinco a seis novos dentinhos, tadinha, só anda com as mãozinhas na boca, frutas do momento, banana, uva, melancia e abacaxi, pede sem parar. Mamãe anana, uba, cia, axi... Gatinha linda, o vocabulário está crescendo, fala tudo que escuta ops... cuidado com o que fala, não passa mais fome de jeito nenhum, sobe em tudo, abre tudo e pega o que quer, só a água que aponta e pede guá, muitas coisas só a mamãe que entende mais se escutar direitinho a gatinha está muito bem nas palavras, anda sempre correndo, adora subir e descer escadas fico morrendo de medo mas deixo e fico sempre a observar, adora pintar, desenhar na verdade kkk rabiscar, adora ficar com os pés no chão coloco o sapato e ela tira, não adianta contrariar pois é respondona, aprendeu com o gatinho Gú, atende a pedidos, achei super fofo quando o papai  pediu pra ela dar o chinelo da mamãe, ela me deu direitinho, a mamãe baba, adora atrapalhar a mamãe quando a mamãe está malhando kkk , quando ouve um Não chora sem parar, gatinha manhosa.

Te Amamos muito!

Depois coloco as fotos da festinha da princesa.





  

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Aniversário da mamãe 15 de outubro

Gente que emoção, eu que não esperava nada no meu aniversário, apenas o presente do maridão é claro, nem sequer sonhava em ter uma festinha para mim, olha que chique, a minha querida cunhada, o meu irmão e o meu amado sobrinho souberam fazer tudo escondidinho, neste dia marido chegou mais tarde e quando bateram na porta Surprise!  Desde bexiga, bolo e até o presente, fiquei super feliz, como é bom ser amada.
Amo muito vocês! O presente do maridão eu escolhi mas estava em falta na loja, mas na quinta... vou ter aqui... falo o que é no próximo post...



                            Minha 26° primavera, daqui a pouco 30, parece que foi ontem que completei  18







O primeiro pedaço para a minha amada cunhada, irmã e amiga de todas as horas


sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Dia especial para curtir cada segundo com os pimpolhos


Todos sabemos que dia das crianças é todos os dias, mas este em especial é o dia de curti-los cada minuto, cada segundo, aqui em casa mamãe acordou mais cedo, deu banhão nos pequenos, tomamos um café da manhã juntinhos, os titios e o primo Matheus chegaram com o presentinho que por sinal amaram, o amor que sentimos por eles é bem mais importante que os brinquedos mas passar o dia das crianças sem dar presentes para a galerinha não dá, depois do almoço fomos comprar os presentinhos, junto com eles, estava lotado mas ver a carinha deles escolhendo o que queriam e super felizes, não tem preço. Os avós paternos vieram e mais presentes.
Passamos a tarde brincando juntos, mamãe fez um bolo brownie, hum! Salgadinhos, docinhos, tudo que criança gosta, mas só hoje tá! Dia imensamente feliz, viramos crianças outra vez, não existe nada melhor que brincar com os nossos filhos e mostra-los que aqui tem colinho de mamãe e papai. 
Te amamos demais filhotes!

O priminho e o titio





 Com os avós queridos



Novidades a gatinha passou a semana dodói, fomos ao hospital, garganta inflamada... mas o que realmente era.... adivinhem... novo dentinho, que linda mamãe, apontou o seu 7° dentinho.

Obrigada meu Deus pela família que me deu e obrigada Nossa Senhora da Aparecida por proteger as nossas crianças.







quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Gustavo e o videogame

Agora o meu príncipe começou a se interessar pelos aparelhos eletrônicos tais como o computador e o videogame, isso me deixa em alerta pois quero que ele seja uma criança de pés no chão... incentivo a brincar na terra, aproveitar a natureza, não quero que ele vire um menino viciado nesse mundo cibernético, vou tentar ser o espelho mas tá difícil... sou louca por computador, e o papai por videogame... o que fazer nessas horas? 



Até você minha princesa!

Videogame e desenvolvimento infantil: uma questão para a educação

*Carliande Jesus da Conceição e Marlene F. C. Gonçalves
Trabalho realizado com apoio da FAPESP

Introdução e objetivos
A relação do videogame com os aspectos teóricos considerados por Vigotski sobre o brincar e sobre o desenvolvimento das funções psicológicas superiores tais como atenção, percepção e memória, faz-se pertinente na contemporaneidade. O videogame está presente fortemente no cotidiano de grande parte das crianças, e os educadores se perguntam sobre benefícios ou malefícios de tal atividade. Faz-se necessário estudar sobre este novo modo de brincar, buscando suas relações com o desenvolvimento infantil, uma das metas dos educadores. O presente trabalho tem por objetivo estudar em três crianças – de 5, 10 e 11 anos – os processos que se desenvolvem quando jogam videogame, destacando-se: a) as características desse brincar que propiciam o desenvolvimento infantil e b) suas relações com o desenvolvimento de funções psicológicas superiores, especificamente a atenção, a percepção e a memória.
Métodos e Materiais
Trata-se de uma pesquisa qualitativa, fundamentada no referencial teórico de Vigotski. Participaram do estudo três crianças do sexo masculino, aqui nomeados Lucas (5 anos), Léo (10 anos) e Caio (11 anos). Lucas e Caio são irmãos, e Léo é primo deles. Foi uma amostra por conveniência, utilizada em pesquisas qualitativas, que teve por objetivo analisar um pequeno grupo. A escolha dessas crianças deveu-se à possibilidade de maior acesso da pesquisadora a elas, pois fazem parte do grupo social do qual se encontra a pesquisadora, com o necessário vínculo entre eles para o desenvolvimento das atividades em conjunto. Os instrumentos foram todos realizados/aplicados na residência de Lucas e Caio. Os dados foram construídos a partir de filmagens das crianças jogando videogame: um jogo de futebol e um jogo de corrida de moto. Foram realizadas dez sessões no total, sendo quatro com as crianças jogando juntas; três sessões, uma para cada uma das crianças jogando individualmente; e três sessões das crianças jogando, cada uma delas, com a pesquisadora. Dessas sessões foram selecionados alguns episódios, que foram transcritos e submetidos à análise microgenética. Foram realizadas entrevistas com as crianças e com seus responsáveis, buscando informações sobre o cotidiano daquelas e sua relação com o videogame. Também foi aplicado um questionário aos pais, para estabelecer a caracterização socioeconômica dessas famílias. Foi feito ainda um diário de campo, com registros sobre aspectos relevantes ocorridos durante a coleta dos dados.
Para esse artigo, destacamos alguns resultados, que focam as relações entre videogame e atenção, percepção, e memória; e entre o videogame e o brincar.
Relações entre videogame e atenção, percepção, e memória
As entrevistas realizadas com os responsáveis pelas crianças apontam a ideia de seus pais sobre a influência do videogame de modo direto no desenvolvimento e no aprendizado das crianças. A fala a seguir, da mãe de Lucas, representa bem essa mudança ocorrida através do videogame:
“Ah!! Eu acho que melhorou a concentração, a atenção, que ele não tinha, sabe até mesmo essa coordenação motora fina com o dedinho, com a visão, sabe que é uma dificuldade que ele tinha na escola, de pintar uma figura, ele não tinha a noção do que é dentro da figura do que é fora né, eu acho que depois que ele começou a estar mais concentrado, ele não conseguia olhar para a atividade que ele estava fazendo, ele estava fazendo, mas olhando para outro lado, a mãozinha para baixo e o olhando para cima, então com o videogame agora a gente fala olha o que você está fazendo, então ele olha, eu acho que o videogame está ajudando ele”.
Não se trata de atribuir unicamente ao videogame a causa determinante por tais mudanças, mas sim de pensar sobre seu papel nesse processo. Nas sessões de atividades com o videogame, que foram filmadas e assistidas exaustivamente, procurou-se observar os movimentos, as expressões e os estímulos proporcionados pelo meio, considerando diversos fatores ali presentes. Jogar videogame encontra-se intimamente ligado às funções tipicamente humanas, pois o jogo parece provocar estímulos e desafios à criança, levando-a a tornar-se autônoma. Destaca-se que ao jogar videogame a criança concentra toda sua atenção, neste momento encontra-se ligada às necessidades apontadas pelo jogo, fazendo com que resgate situações anteriores para solucionar problemas, buscando melhor meio para solucioná-los. Analisando os dados obtidos pela pesquisa pode-se perceber a forte relação entre o jogar videogame e as funções psicológicas superiores. As funções psicológicas, especificamente atenção, percepção e memória, são solicitadas continuamente durante o jogo do videogame. Este parece ainda contribuir na interação social, proporcionando troca de experiências e auxílio de um ao outro. No jogar videogame há um autocontrole de atenção, sendo esta dirigida para aspectos que o sujeito internalizou como sendo importantes naquele momento, ocorrendo um desligamento de outros estímulos do meio. Esse mesmo processo faz-se presente na percepção, ocorrendo uma seleção de informações adequadas para aquele momento. No jogar videogame está presente também, a todo o momento, o uso da memória, já que o sujeito precisa lembrar-se das regras do jogo, das estratégias para vencer a partida. Sua percepção encontra-se intimamente ligada a memória. O episódio apresentado abaixo ocorreu durante o jogo de futebol, da dupla Caio e Léo (sessão 2):
C: Vai!!! [Caio parece tentar empurrar o seu time para frente]
C: Lança! Vai Totti agora você faz! O goleiro vai sair!
Le: Vai mesmo
C: Ah … Não!!! [Caio lamenta o gol perdido]
Le: (risos). [Parecendo aliviado por não sofrer mais um gol]
C: Ah!!! Tava impedido?! [Caio reclama do juiz, levanta os dois braços ao mesmo tempo, como se estivesse em uma arquibancada].
C: Ui!!! Tava mesmo!!!
Le: (risos). [Léo ri da lamentação do Caio pelo gol perdido].
Le: Tava isolado… O carinha tava isolado Caio, não tava impedido, tava isolado!!! [Léo mostra sua satisfação]
Pode-se observar, no episódio apresentado, a atenção dos meninos, totalmente focada na ação dos jogadores, aliada à percepção, aqui explicitada através do caso do impedimento, só percebido por Caio após anunciado no jogo. Ele estava envolvido na ação de fazer o gol (atenção focada), não percebeu, no momento, a situação de impedimento (percepção), que depois acabou reconhecendo (percepção e memória). Ao reconhecer o impedimento, observa-se que sabia o que era isso, e tinha esse conceito na memória. O conceito de impedimento é trazido mais enfaticamente por Léo (memória e linguagem), quando diz: Tava isolado Caio. O carinha tava isolado Caio, não tava impedido, tava isolado!!! Na sequência do episódio (ainda sessão 2), novamente destaque para a percepção, neste caso, quando Caio tenta identificar um jogador:
C: Quem vai rasgar? … É o … De Rossi. [Caio leu o nome deste jogador, pois não conhecia esse jogador apenas pela aparência, diferentemente do Totti, principal jogador do time, que foi enfatizado diversas vezes nesta narração]
Le: Você ia falar quem quer rasgar? [Léo pergunta para Caio, provavelmente devido a sua demora e a pronúncia duvidosa sobre o jogador De Rossi.]
C: Sei lá! … Olé! [Comemoração de torcida, de time que está ganhando.] Olé! Totti de novo! É Totti!!! É sempre!!!
Aqui se observa o esforço de Caio na tentativa de identificar o jogador De Rossi, sendo ajudado pela escrita do nome do jogador. Atenção, percepção e memória num trabalho articulado e conjunto de construção, o que já se apresenta mais consolidado ao Caio se referir ao outro jogador: Totti.
O videogame e o brincar
Para Vigotski (2007) é enorme a influência do brincar no desenvolvimento da criança, uma vez que o brincar ensina a criança a dirigir seu comportamento, e as ações surgem da ideias. O videogame é visto como um brinquedo na medida em que ele passa a fazer parte do universo lúdico da criança, proporcionando estruturas básicas de consciência e da imaginação. Também na brincadeira se observa que uma criança que não conseguia resolver um determinado problema, e no final consegue resolver, ela sente prazer na realização, por isso a criança se envolve e se interessa mais. (Vigotski, 2007). No episódio abaixo (sessão 2), Caio, jogando com Léo, manifesta sua satisfação pelo jogo:
C: O Totti saiu! Driblou o goleiro! [Narração do jogo, o que está acontecendo] E fez mais um. [Caio vai com o corpo para trás comemorando mais um gol; tira o boné e coça a cabeça.] É mais um de Totti! Totti … 10 a 5. [Caio olha para a câmera, mostrando satisfação pelo placar.]
Vigotski vê a realização do faz-de-conta como a emancipação da criança em relação às restrições situacionais, e toda brincadeira é regida por regras, já que esta é uma “releitura” do real. A brincadeira é uma representação do real, no brincar a criança se coloca no lugar do outro, e vivencia coisas que na realidade seriam impossíveis viver no momento atual. Como é possível observar no episódio abaixo (ainda sessão 2).
L: se eu não saísse ia ser um golaço
C: ia mesmo ... Messi
L: mas… mas, o Messi não fez nada no jogo
C: então “ranca”! vai Totti [falando com ênfase para o jogador]
No episódio é possível observar que no brincar a criança é como fosse maior que na realidade, ele é o jogador, ele é o juiz, ele vivencia momentos que na realidade seriam impossíveis de serem vividos.
Conclusões
O objetivo desta pesquisa foi investigar, em três crianças, de 5, 10 e 11 anos, os processos que se desenvolvem quando brincam – juntas e separadas – de videogame, destacando-se os seguintes aspectos: a relação desse jogo com o brincar; e suas relações com o desenvolvimento de funções psicológicas superiores, especificamente a atenção, a percepção e a memória. Os resultados indicaram que o videogame apresenta-se como um instrumento na realização dos desejos mais imediatos da criança, característica importante do brincar. Ao jogar videogame as crianças criam estratégias, trabalham com desafios, utilizam o espaço visual, coordenação motora, e também põem em evidência as funções psicológicas superiores, especialmente a atenção, percepção e a memória. Estas são solicitadas fortemente durante o jogo do videogame, ao mesmo tempo em que possibilitam a construção de novas habilidades, como o reconhecimento dos jogadores, por exemplo. O videogame parece também contribuir na interação social, proporcionando oportunidades para troca de experiências e auxílio de um ao outro. Hoje, com todo esse avanço tecnológico, com as constantes mudanças faz-se necessário conhecer o universo infantil, e como esse universo contribui com o próprio desenvolvimento. Estudar o videogame faz parte dessa exigência social. Essa pesquisa aponta para os educadores a necessidade sobre a compreensão do processo de desenvolvimento infantil no contexto atual, e em especial diante das possibilidades tecnológicas, como o videogame.
Referências Bibliográficas
GÓES, M.C.R. A abordagem microgenética na matriz histórico-cultural: uma perspectiva para o estudo da constituição da subjetividade. In: Cadernos Cedes, ano XX, n. 50, p. 09-25, abril/2000.
GONÇALVES, M.F.C. Representação e Faz-de-conta na Educação Infantil: entendendo os processos de desenvolvimento da criança. In UTSUMI, M.C. (org.). Entrelaçando Saberes: contribuições para a formação de professores e as práticas escolares. Florianópolis: Insular, 2002.
MUNGUBA et al. Jogos eletrônicos: apreensão de estratégias de aprendizagem. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. Universidade de Fortaleza, V.16: 39-48, 2003. NERY, T.M.O. et al. Videogame, bem-vindo a sala de aula!Congresso Internacional de Qualidade em EAD: desafios para a transformação social. UNISINOS, São Leopoldo, RS. 2005
TIGGERMANN, I. S. Brincar, Aprender, Ensinar: Experiência lúdica e Educação Escolar. Plures Humanidades: Revista do Programa de Pós-graduação em Educação – Mestrado. Ribeirão Preto-SP. V.7, p.55-69, jan/nov. 2006.
LURIA, A.R. Curso de Psicologia Geral: Sensações e Percepção. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991a.
LURIA, A.R. Curso de Psicologia Geral: Atenção e Memória. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991b.
OLIVEIRA, M. K. Vigotski: Aprendizagem e desenvolvimento: Um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1997.
OLIVEIRA, Z.M.RL. S. Vigotski: Algumas Idéias sobre Desenvolvimento e Jogo Infantil. Centro de Referência Mário Covas, disponível em <http://www.crmariocovas.sp.gov.br /pdf/ideias_02_p043-046_c.pdf>
REGO, T.C. Vigotski: Uma Perspectiva Histórico-Cultural da Educação. Educação e Conhecimento. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.
VIGOTSKI, L.S. Pensamento e LinguagemSão Paulo: Martins Fontes, 1993. VIGOTSKI, L.S. O desenvolvimento psicológico na infância. São Paulo; Martins fontes, 1998
VIGOTSKI, L.S. Formação social da mente.São Paulo: Martins Fontes, 2007.  





segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Cantinho das mamães corujas

Oi gente, estou aqui para divulgar mais um projeto que foi inaugurado hoje, estou muito feliz de fazer parte dessa equipe maravilhosa, eu como idealizadora estou aqui com o maior orgulho do mundo... Obrigada meninas que fazem parte desse time maravilhoso e sucesso para todas nós e para as minhas amigas que sempre fazem parte da minha vida visitem e sigam!